terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Taxistas reuniram-se em frente à Central de Polícia para reivindicar segurança



Polícia Militar apreende menores acusados de sequestro-relâmpago e assalto.


Dois jovens e uma adolescentes estavam com carro roubado (Fotos: Jobison Barros)

 Um grupo de taxistas reuniu-se em frente à Central de Polícia, no bairro do Prado, na noite desta segunda-feira (9), para clamar por segurança pública: a aglomeração de táxis na rua da central teve início depois que três menores foram surpreendidos por policiais do Batalhão de Rádio Patrulha dentro de um táxi roubado, um Fiat Idea, branco. O veículo já estava descaracterizado e o proprietário do carro reconheceu um dos jovens como autor do sequestro-relâmpago seguido de assalto, que ocorreu na noite desse domingo, no bairro de Ponta Verde.

O taxista Aresky de Freitas Costa estacionou seu Fiat Idea, branco, de placa NMB-4836/Maceió-AL, na Avenida Álvaro Otacílio, na noite desse domingo, para aguardar mais uma corrida. Dois supostos passageiros entraram no carro, o destino seria o Barro Duro. A apenas cem metros do ponto de táxi, os dois revelaram suas intenções: o motorista foi obrigado a dirigir para eles até o bairro de destino e em seguida foi obrigado a descer do veículo.

As buscas ao carro roubado começaram ainda no domingo, mas a caça ao carro só terminou nesta segunda-feira: um taxista reconheceu o carro de Aresky, que já estava descaracterizado, em frente a um posto de combustível na Avenida Leste-Oeste. Três jovens ocupavam o Fiat Idea, dentre eles uma adolescente. Eles foram apreendidos por militares da Rádio Patrulha e encaminhados à Central de Polícia. Somente um dos jovens foi reconhecido como assaltante. A adolescente foi identificada pelos taxistas como Princesinha do Roots.



Apreensão gerou aglomeração de taxistas na Central de Polícia

 A apreensão gerou uma aglomeração de 15 táxis à porta da Central de Polícia. A categoria reivindicava segurança para rodar nas ruas de Maceió. Um dos taxistas, que preferiu não se identificar, desabafou: “Sou taxista há dois anos. A segurança nas ruas é horrível, é uma negação. Estamos receosos. Só tenho um recado para o governador, se ele quiser eu cedo um carro para ele colocar um parente dele para rodar nas ruas para sentir na pele como é ser taxista em Maceió”
.
09.01.2012 | 23h32

Gazetaweb 

.