quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Operação autua motoristas e recolhe veículos



Motoristas foram autuados e veículos foram recolhidos durante operação realizada na manhã desta quarta-feira (21), pelos agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). A fiscalização aconteceu nas proximidades do Shopping Pátio no Benedito Bentes, e teve como objetivo coibir o estacionamento irregular de veículos, principalmente, sobre as calçadas.

Segundo a assessoria de Comunicação da SMTT dez motoristas foram autuados por estacionamento sobre passeio. Nove motocicletas foram removidas ao depósito da SMTT.

Estacionar o veículo no passeio ou sobre a faixa destinada a pedestres é considerado infração de natureza grave, gerando multa de R$195,23 e a perda de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A medida administrativa para esse tipo de infração é a remoção do veículo.

Já na quarta-feira (21), fiscais de transporte da SMTT realizaram uma operação para averiguar a existência de irregulares nos bairros da Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca, Centro e Farol.

Cinco veículos foram removidos ao depósito por realizar transporte irregular de passageiros, sendo uma van clandestina e quatro táxis que efetuavam lotação. Além disso, três infrações de transporte e 19 de trânsito foram registradas pelos fiscais.

Quem for pego realizando o transporte irregular de passageiros será multado no valor de R$2.180,00, perdendo sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além de ter seu veículo removido ao depósito da SMTT.

Essas ações visam reforçar o sistema integrado de transporte público, combater os clandestinos e ordenar o trânsito no nosso município.

Por Redação*  22/02/2018 às 16:26  Maceió


*Com Ascom SMTT


Fonte:
http://www.cadaminuto.com.br/noticia/316733/2018/02/22/operacao-autua-motoristas-e-recolhe-veiculos#.Wo9B4u9n4j8.twitter

.

domingo, 28 de janeiro de 2018

Homenagem do Táxis pelos cem anos de conquista

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O TÁXI E A DEGRADAÇÃO VOLUNTÁRIA DO TRABALHO

Hoje, foi anunciado o reajuste no valor da bandeirada dos táxis cariocas, que na próxima quarta-feira passará de R$ 5,40 para R$ 5,50, um acréscimo de 10 centavos. Muitos taxistas foram contra o aumento, alegam que perderão ainda mais usuários para o concorrente americano Uber, não levam em conta o aumento de todos os insumos que envolvem a própria produção, que vão desde a manutenção do automóvel até os inúmeros aumentos do combustível. Há de se ressaltar que o último reajuste dos táxis no Rio ocorreu em 2016. Em 2017, evitar a correção da tarifa foi a escolha sensata num momento em que a nossa mídia colonizada ainda oferecia forte apoio à suposta inovação dos aplicativos de transporte individual. Talvez, por falta de reflexão ou desespero, esses taxistas que fomentam a depreciação do ofício ainda não tenham atinado que aplicativos como o Uber se transformaram em bico ou complemento de renda para aventureiros do trânsito; quando não é assim, serve de boia salva-vidas para desempregados que não se importam em abrir mão de direitos e de mínimas proteções trabalhistas. Já o táxi, para a maior parte dos permissionários, não é um bico, é profissão.

Uma das poucas informações que o Uber disponibiliza diz que o aplicativo assume somente a conexão, não se responsabilizando por nada mais. Ou seja, ao Uber cabe o bônus da operação; passageiros e motoristas que arquem com qualquer possível ônus. Não à toa que foi proibido em diversas cidades e países da Europa (como os exemplos recentes de Londres e Dinamarca) e vem sendo reavaliado também em Nova York.

Os taxistas justificam que rejeitar o reajuste sobre o atual valor trabalhado seria uma estratégia de sobrevivência. Não é possível estratégia contra uma multinacional que se baseia no pressuposto de regras mínimas ou na total ausência delas, como ocorre no Rio de Janeiro. A sobrevivência dos taxistas não está atrelada à efetivação ou não de um reajuste, mas à coragem do Estado em enquadrar uma empresa de tecnologia que se coloca acima da ordem urbana e social. A luta do taxista não deveria conter a ideia de depredar sua qualidade de vida pela suposição de que mais vale sobreviver do que garantir a dignidade. Uma batalha travada pela ótica dos suicidas é uma guerra perdida.

Fato ainda pior na capital do Rio de Janeiro é testemunhar uma luta interna promovida por alguns grupos de taxistas contra companheiros de classe que insistem em preservar a dignidade do trabalho que escolheram para ganhar a vida. É insano. Como é possível criticar alguém que tenta mostrar que é preciso manter o amor-próprio antes de enfrentar um adversário?

O Uber é uma bolha que cresce sem controle, como bem demonstrou um estudo realizado pela COPPE/UFRJ, seu destino é explodir em algum ponto da curva. Em sites como o Reclame Aqui já acumula mais de 50 mil denúncias; desvia a discussão sobre o transporte de massa; explora a mão de obra terceirizando camelôs de asfalto sem licença; não aceita nenhuma relação trabalhista com seus prestadores de serviço, mas recolhe deles 25% dos ganhos da produção. Não há como manter uma mentira por muito tempo.

O que parece incomodar aos taxistas, mais do que o reajuste aprovado, é a burocracia e os custos que derivam disso. São obrigados a pagar 200 reais pela troca do chip do taxímetro, mais as despesas do serviço e a taxa do IPEM (Instituto de pesos e medidas). Ficam reféns de um cartel de relojoeiros (empresas autorizadas que manipulam os taxímetros) e de uma romaria que os faz perder um dia de batente em troca do certificado de fiscalização. Isso, sim, deve ser questionado.

O embate dos taxistas contra a desapropriação da dignidade do trabalho se tornou um símbolo de resistência que ganhou repercussão nacional num país que está sendo vendido e recolonizado. Só os covardes se encolhem, a vitória exige ousadia.


(por Alexandre Coslei)

https://www.facebook.com/coslei/posts/1776913015716455
.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

SMTT vai cassar mais de 60 'praças' de táxis nos próximos dias, em Maceió.

Taxistas estariam fazendo lotação, o que não é permitido pela Lei Municipal; processos para revogar concessão estão em tramitação.

O Superintendente Municipal de Transporte e Trânsito, Antônio Moura, afirmou, na tarde desta quarta-feira, que atualmente estão tramitando em Maceió, quase 70 processos para cassação de praças de táxi. Esses taxistas estariam fazendo lotação, uma prática proibida pela Lei municipal.

Praças são concessões públicas concedidas a taxistas para a exploração de transporte de passageiros.

A cassação destas praças deve começar a acontecer dentro de 20 dias, quando forem publicadas no Diário Oficial do Município. "Os passageiros hoje estão buscando cada vez mais agilidade no serviço, mas ao utilizarem transportes clandestinos, eles estão se expondo a um risco, pois não há regulamentação nenhuma", alertou o superintendente.

Segundo Antônio Moura, o motorista que tiver o nome publicado poderá recorrer da cassação. "Enquanto estiverem recorrendo, nada impede o motorista de rodar", explicou o superintendente.

Além dos motoristas de táxis, vans e microônibus que realizam o transporte clandestino de passageiros, ou se desviam de suas rotas, também serão alvo de fiscalizações mais assíduas do órgão de trânsito.

Estagiário sob supervisão da editoria*

Vitor Menezes*

10/01/2018 - 16:16 - Atualizado em 10/01/2018 - 17:08

Fonte:

.


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Confira a documentação para autorização de motorista auxiliar de táxi


Os condutores que exercem a atividade de motorista auxiliar de táxi deve obter também a permissão da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), a fim de estar também regularizado com o órgão.

A SMTT orienta que vá ao órgão para fazer o registro e o curso de capacitação. Após conclusão do curso de capacitação é necessário que haja o pagamento de uma taxa no valor de R$ 8,00. E em seguida, com o certificado do curso e o comprovante de pagamento da taxa em mãos, o interessado deve comparecer ao guichê de atendimento portando os seguintes documentos: carteira de habilitação com atividade remunerada, comprovante de residência e antecedentes criminais.

O cadastro é realizado e o solicitante já recebe na hora a sua autorização para exercer a atividade de motorista auxiliar de táxi, que é válida por um ano.

Novo curso de capacitação

Neste ano, a SMTT fará uma mudança na grade de programação do curso de capacitação para motoristas taxistas e auxiliares.

Adaptando-se à legislação vigente, o curso, que é válido para a renovação da permissão, terá duração de 8 horas. As aulas passarão a ser realizadas pela manhã, das 8h às 12h, e pela tarde, das 13h30 às17h.

O curso de capacitação 2018 está previsto para ter início no dia 09 de janeiro e vai até novembro com o objetivo de atender os cerca de 3 mil taxistas permissionários em Maceió.

04/01/2018 - 12:25

Ascom SMTT

Fonte:
.


FELIZ ANO NOVO


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Taxista é sequestrado e feito refém durante assalto em Maceió

Caso aconteceu na madrugada e polícia ainda não tem informações se ele foi encontrado; crime foi cometido por dois suspeitos

Taxista foi sequestrado por dois homens no Tabuleiro do Martins

O roubo de um veículo acabou no sequestro de um taxista na madrugada desta sexta-feira (8), em Maceió. O caso aconteceu no Tabuleiro do Martins e o motorista, que estava em um Renault Logan Sedan, de cor branca e placa não identificada, ainda não foi localizado pela polícia.

Segundo informações do relatório do Centro Integrado de Operações da Secretaria de Segurança Pública (Ciosp/SSP), um motorista de Uber teria entrado em contato com a PM informando o roubo de um táxi por dois suspeitos, que levaram o taxista como refém e conseguiram escapar.

A dupla fugiu no sentido da Santa Amélia. De acordo com a testemunha, o primeiro estava sem camisa e com boné vermelho, enquanto o segundo não teve qualquer característica identificada. Um alerta geral foi feito ainda durante a madrugada para todas as mesas de rádio do Ciosp.

A polícia ainda não tem novas informações sobre o caso na manhã desta sexta-feira (8). A Gazetaweb tentou contato com o Sindicato dos Taxistas, mas não obteve sucesso.

Por Larissa Bastos | Portal Gazetaweb.com    08/12/2017 08h51

FOTO: NELDSON NEVES / O LIBERAL

.