quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Motorista denuncia funcionário de empresa de táxi por agressão em AL

Taxista diz que negou entregar equipamento para a empresa e foi agredido. Categoria foi até a porta de delegacia pedir por justiça nesta quarta-feira.



Elísio de Oliveira Campos diz que foi agredido dentro do seu táxi. (Foto: Roberta Cólen/G1)

Motoristas de táxi de Maceió se reuniram nesta quarta-feira (21), em frente ao 9º Distrito da Capital para cobrar por justiça. Eles dizem que um colega taxista foi agredido fisicamente por um funcionário da empresa Pontual durante uma discussão na manhã de hoje.

O vice-presidente da Associação de Taxistas de Maceió, Erivaldo Batista, disse que as agressões foram resultado de um antigo problema que é referente aos descontos que a empresa oferece aos clientes por cada corrida.

“O valor do desconto é abusivo porque pesa no bolso da gente. O Elísio estava marcando uma reunião para discutir esse assunto quando foi chamado pela empresa para devolver o equipamento de rádio que é alugado. Quando se negou, foi agredido e teve o celular destruído”, diz.

Elísio de Oliveira Campos, 32, mais conhecido como “Soninho”, conta que trabalha com táxi há 20 anos e que nunca havia passado por isso. “Quando cheguei na empresa, o funcionário José Ramos da Silva falou que eu estava suspenso de trabalhar e que teria que devolver o equipamento, mas como peguei com o dono há oito anos, me neguei e disse que só entregaria o rádio nas mãos dele”, afirma.

“A partir daí José começou a gritar comigo e resolvi gravar com o meu celular. Ele entrou no carro, torceu meu braço e quebrou o telefone que estava com as gravações. É uma humilhação. Nenhum trabalhador merece ser tratado dessa forma”, ressalta.

O chefe de serviço da delegacia, Ailton Oliveira, disse que as partes serão ouvidas. “Dependendo das informações, será aberto um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) ou um inquérito policial”, explica.

Um dos sócios da Pontual Táxi que estava presente no local, tentando entrar em acordo com o vice-presidente da associação, não quis se manifestar sobre o assunto. A reportagem do G1 entrou em contato com a empresa por telefone, mas a funcionária que se identificou como Débora disse que não tinha ninguém na coordenação.

Descontos

De acordo com os taxistas, os descontos que a empresa oferece são abusivos. “O preço de muita coisa aumentou, como gás e a comida. Mas o desconto de 20 ou 25% (dependendo da empresa) não abaixa, o que não é justo, já que a empresa faz a propaganda sobre isso, mas quem sofre é a gente que perde dinheiro da corrida”, diz um taxista que se identificou apenas como Pablo.

A categoria pede que os descontos caiam para 10% a partir de R$ 15. “Não queremos ir contra as empresas, pelo contrário. Só pedimos uma maior parceria para ninguém ficar insatisfeito”, conclui Pablo.

Alagoas

21/08/2013 13h47 - Atualizado em 21/08/2013 15h51

Do G1 AL


Fonte:

.