segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Andar de táxi ou ter um carro, o que compensa?


As vantagens e desvantagens de usar o táxi em detrimento do carro próprio são muitas

O trânsito complicado nas grandes cidades brasileiras é um dos principais sintomas do caos urbano, mal que assola e preocupa a população. No Recife, a “hora do rush” é um bloco que se estende do início da manhã e vai até as primeiras horas da noite, deixando sem opção milhares de motoristas que circulam pela capital pernambucana. No meio de todo esse estresse surge uma dúvida: pegar um táxi não seria uma opção menos insana de enfrentar os terríveis engarrafamentos?

As vantagens e desvantagens de usar o táxi em detrimento do carro próprio são muitas. Há um sem número de variáveis para um possível cálculo que aponte as diferenças financeiras. Já o custo diário que o indivíduo tem mental e fisicamente, este é impossível de realizar. Por isso, a tarefa de tentar apontar com precisão o que é melhor, carro próprio ou o táxi, é ingrata já que, nesta questão, cada caso é um caso. Mas, para quem está disposto a fazer uma comparação meramente baseada em números, há uma dica: vá no classificados.folha.com.br/veiculos/veiculos-carro_ou_taxi.shtml.

O economista Roberto Ferreira acredita que, dentre as varáveis, a mais complexa é a depreciação ou perda de valor inicial do carro. “Esse custo é notado na hora da venda ou na hora da troca e é na realidade o maior custo arcado por um proprietário de veículo e não percebido pelos não especialistas.”

De acordo com o economista, experiências empíricas têm demonstrado que no 1º ano essa depreciação chega em média a ser de 20% do valor total do veículo. No 2º e 3º anos a desvalorização é de até 15% e a partir do 4º ano a depreciação se estabiliza nos 10%. Motoristas que possuem o carro próprio e pretendem mudar hábitos também têm que levar em consideração as questões de dependência e agilidade. O acesso ao táxi, seja por telefone ou na rua, nunca é imediato. V

Publicado em 04/12/2011, às 09h33

Rafael Guerra

Fonte:
Jornal do Comercio
.