quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Proprietário diz que taxista ficou ‘preso’ no engarrafamento




Nilton irá depor na Polícia Civil assim que receber alta médica

O proprietário do táxi Fiat Uno de placa 4326/AL se apresentou na manhã desta terça-feira, dia 27, na Delegacia de Acidentes, especializada que irá investigar a colisão entre o táxi e o trem na manhã de hoje, e que resultou na morte da comerciária Carla Cristina Santana, de 34 anos. O acidente ocorreu por volta das 8h, no bairro de Bebedouro.

De acordo com o chefe de operações da especializada, Mário Dantas, o proprietário se apresentou à delegacia para se colocar à disposição da polícia. Ainda segundo o chefe, o veículo é sublocado a Nilton da Silva Spinelli, de 36 anos, que conduzia o veículo no momento do acidente.

Segundo relato do proprietário, que não teve a identidade divulgada, Nilton teria enfrentado um grande engarrafamento na região de Bebedouro e quando da aproximação do trem não teria encontrado uma alternativa para sair dos trilhos.

O chefe de serviço explicou que a especializada irá aguardar o depoimento do motorista e o resultado da perícia realizada no local do acidente. Mário Dantas não descartou, no entanto, o indiciamento do motorista por homicídio culposo (sem intenção de matar). O caso será investigado pelo delegado Fernando Tenório.

Nilton Spinelli foi levado para o Hospital Geral do Estado, onde foi constatado trauma na coluna cervical e escoriações leves. Ainda segundo HGE, o motorista apresenta quadro estável.

Já para a família de Carla Cristina coube a expectativa de liberação do corpo, após o procedimento de necropsia. A comerciária, que seguia para o trabalho no momento do acidente, deixa um filho de quatro anos.

Cláudia Galvão

Alagoas24Horas
 .