sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Após sexta morte, taxistas cobram sistema de rádio ligado à Polícia Militar

Ao saber da morte de colega, taxistas foram para o local do crime

A morte de Carlos Fábio da Silva, que estava desaparecido desde a noite de ontem e teve o corpo encontrado nesta quinta-feira (29) num canavial, é o sexto assassinato de taxista apenas em 2011. O sindicato cobra mais segurança e quer que a agilização da implantação da radiofrequência da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL) nos carros.

O uso do sistema já foi autorizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), já foi prometido pela PM de Alagoas à categoria, mas até agora não foi implantado.

“Há dez dias, tivemos uma reunião com coronel Edmilson e ele nos informou que já havia feito uma viagem ao Recife para ver como funciona o sistema lá para trazer para Maceió. O problema é a demora. Mais uma morte aconteceu. E agora, secretário de Segurança? E agora, Polícia Militar?”, questiona o secretário do Sindicato dos Taxistas de Alagoas, Fernando Ferreira.

Segundo o sindicato, a implantação da rádio na mesma freqüência da PM nos carros amplia a segurança dos motoristas e inibe a ação de criminosos. A proposta seria colocar o sistema nos 1.800 carros que circulam com rádio e são vinculados a empresas. Esses veículos teriam um adesivo avisando que está sendo monitorado, o que afastaria os assaltantes.

Para os taxistas, a violência poderia ser reduzida porque os motoristas teriam uma ponte direta para fazer denúncias e evitar mortes.

Hoje, circulam na capital cerca de 3 mil táxis.

A sexta morte

A polícia encontrou, no início da manhã desta quinta-feira (29), o corpo do taxista Carlos Fábio da Silva Siriá, que estava desaparecido desde a noite de ontem, quando foi contratado para fazer uma corrida. A vítima foi encontrada morta em uma área de canavial no conjunto Jardim Saúde, no bairro Cidade Universitária.

Os primeiros levantamentos da polícia revelam que o taxista foi visto a última vez por amigos com quatro homens dentro do carro. Ele desapareceu logo em seguida e não fez maiscontato com a empresa a qual era filiado pelo rádio.

As buscas iniciaram ainda na noite de ontem e o carro da vítima foi encontrado no bairro do Tabuleiro do Martins. Nesta manhã, a polícia localizou o corpo da vítima.

A primeira linha de investigação da polícia é de latrocínio (quando de mata para roubar), mas outras hipóteses também serão investigadas pelos agentes da Delegacia do 10º Distrito Policial.

10:57 - 29/09/2011

Fonte:

tudonahora.com.br


.