sábado, 20 de fevereiro de 2016

Taxista é morto com tiros e facadas e categoria faz carreata cobrando segurança

Polícia

Taxista é morto com tiros e facadas e categoria faz carreata cobrando segurança


Taxista foi morto enquanto trabalhava. Ele foi acertado com um tiro na nuca e facadas no tórax.




Taxista foi morto enquanto trabalhava. Ele foi acertado com um tiro na nuca e facadas no tórax.

A morte de um taxista, brutalmente assassinado na noite desta sexta-feira (19), causou indignação dos colegas de profissão que fizeram uma carreata cobrando Segurança Pública para a categoria. Gilmarcos de Carvalho Silva, de 41 anos, foi executado dentro de seu veículo, um Crossfox, de placa OHK-2933, na Rua Muniz Falcão, no bairro do Clima Bom.

Informações confirmadas pela Polícia Militar dão conta que o taxista apresentava ferimentos na cabeça e que ele foi morto com um tiro na nuca e também facadas no tórax.

Colegas e familiares de Gilmarcos negam que ele tinha envolvimento com ilícitos e desconhecem casos de inimizades.


Taxista foi morto enquanto trabalhava. Ele foi acertado com um tiro na nuca e facadas no tórax.





Taxista foi morto enquanto trabalhava. Ele foi acertado com um tiro na nuca e facadas no tórax.



Taxista foi morto enquanto trabalhava. Ele foi acertado com um tiro na nuca e facadas no tórax.



O crime deverá ser investigado pela Delegacia de Homicídios que não deve descartar nenhuma linha de investigação. Além dos agentes da DH, foram acionados peritos do Instituto de Criminalística e funcionários do Instituto Médico Legal (IML) para procedimentos cabíveis.

Carreata

Logo após a morte do taxista, colegas de profissão realizaram uma carreata em protesto e cobrando mais segurança para os profissionais da classe. Os taxistas ainda fizeram breve parada em frente à Central de Flagrantes do Farol.

O secretário de Segurança Pública, Alfredo Gaspar, se reuniu com a categoria e uma nova reunião foi agendada para a próxima segunda-feira (22).

Leia na íntegra nota emitida pela SSP sobre encontro da categoria com o secretário:

O secretário Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, da Segurança Pública,  esteve no início da madrugada deste sábado (20) em Mangabeiras, bairro da parte baixa da capital,  para ouvir taxistas em protesto pela morte de um colega de profissão, ocorrida na noite anterior no Tabuleiro do Martins.

A categoria, logo após a morte se mobilizou e decidiu protestar em frente ao Complexo de Delegacias Especializadas (Code). A exigência para garantir a desobstrução seria a presença do secretário.  O Gerenciamento de Crises esteve à frente da negociação com o capitão Sandro que obteve êxito ao informar que a reivindicação da categoria havia sido atendida.

“Estava negociando uma reunião para a segunda-feira,  mas também queriam o secretario no local. Quando asseguramos a presença dele, os taxistas já começaram a recuar e desbloquear a pista, declara capitão Sandro.

O secretário conversou com os taxistas e chegaram a um consenso.  “Já estava deitado quando  fui avisado da manifestação e que solicitavam a minha presença e, em respeito a categoria fui lá. Dialogamos e definimos que nos encontraremos na segunda, às 14h, na secretaria.”, explica Gaspar de Mendonça.

Uma comissão sera escolhida pela categoria para representá-la na reunião com o secretário.


20/02/2016 08:32     

Amanda Dantas         

Cruzeiro do Sul Notícias/Cortesia

Fonte:

.