segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Após morte, taxistas cobram medidas mais efetivas de segurança


Nas últimas semanas, associação registrou 7 assaltos a taxistas.

Reunião discute medidas de segurança para taxistas

Os taxistas de Maceió se reuniram, na tarde desta segunda-feira (22), com o secretário de Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça, e representantes da Polícia Militar, com o objetivo de discutir medidas que possam coibir a ação de criminosos contra a categoria. Na última sexta-feira (19), um taxista foi assassinado dentro do veículo na parte alta da capital. Nas últimas semanas, 7 assaltos a taxistas foram registrados pela Associação dos Profissionais de Táxi de Maceió.

De acordo com o vice-presidente da entidade, Jamerson Souza, a morte ocorrida na sexta-feira foi a primeira registrada em 2016. Em 2015, o número de taxistas assassinados durante assaltos ou tentativas de assaltos chegou a seis. Com medo de que novas mortes ocorram nos próximos dias, a categoria procurou a Segurança Pública para cobrar ações mais eficazes, tais como fiscalizações e abordagens aos passageiros.

"Nós queremos o comprometimento do secretário em ações mais eficazes de fiscalização. Estamos muito vulneráveis. Alguns colegas, a partir das 17h, já não circulam mais por medo", conta Jamerson.
Ainda de acordo com o representante da categoria, por conta da violência, há localidades nas quais os taxistas evitam circular ou levar passageiros, tais como o Vale do Reginaldo, o Benedito Bentes 2, o Sítio São Jorge, o Conjunto Rosane Collor, a Chã da Jaqueira, o Joaquim Leão e o Dique Estrada.

Ele afirma que, atualmente, muitas mulheres estão agindo com violência durante as ações criminosas que têm como alvo os taxistas, já que levantam menos suspeitas como passageiras. No início do mês, três mulheres chegaram a agredir um taxista nas proximidades do Trapichão.

"Muitos taxistas optam por pegar clientes pelos aplicativos ou pela rádio. Evitam pegar na rua ou até mesmo selecionam passageiros", conta.

Segundo o secretário Alfredo Gaspar, o objetivo da reunião é traçar ações de segurança pública para coibir ações criminosas contra os taxistas. Ele explicou, durante a reunião, que o botão de pânico que havia sido instalado em alguns táxis de Maceió foi extinto porque a segurança pública não poderia deslocar o efetivo para atender somente a 70/80 profissionais.

"Não seria justo oferecer um serviço que atenda a uma pequena parcela e deixe o montante de fora. Vamos estabelecer aqui uma ação que beneficie a todos os alagoanos", pontuou Alfredo Gaspar.

Alfredo Gaspar comunicou, durante a reunião, que o estado está prestes a inaugurar o sistema de radiocomunicador digital, que vai estabelecer um canal de comunicação entre os taxistas e outras categorias.

"O sistema analógico não funciona com perfeição e o sistema digital vai melhorar significativamente a comunicação. Em poucos minutos poderemos fechar todas as saídas do estado", destacou o secretário.

22/02/2016 15h29

Fonte:
.