quinta-feira, 10 de julho de 2014

Presidente do Sintáxi é algemado e preso durante manifestação em rodovia


Taxistas Ubiraci Correia, Eron Laurentino, Carlos Henrique Ferreira e José Camilo foram presos (Crédito: TNH1/Erik Maia)

O presidente do Sindicato dos Taxistas de Alagoas, Ubiraci Correia, foi preso na manhã desta quinta-feira (10), junto com outros três colegas, durante uma manifestação da categoria na BR-316, em Satuba.


De acordo com o secretário geral do Sintáxi, Fernando Ferreira, a polícia já havia negociado a liberação da rodovia, que estava bloqueada com pneus em chamas, e o Corpo de Bombeiros já havia apagado o fogo e desfeito o bloqueio quando chegou a Tropa de Choque a Polícia Militar.

Ele relata que os militares chegaram jogando bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os taxistas. A maioria se afastou e quando retornou ao local onde os policiais estavam viu o presidente do sindicato sendo algemado e colocado dentro da mala da viatura.

Fernando nega que tenha havido enfrentamento dos manifestantes com a polícia, já que, antes do protesto, a categoria teria definido que não contestaria qualquer ordem policial, caso fosse dada aos manifestantes.

“Não vi motivo para algemar, nem para colocar na mala do Palio. Ele não é bandido, não estava armado, não estava causando ameaça à população”, reclama.

O sindicalista foi levado com os taxistas Eron Laurentino, Carlos Henrique Ferreira e José Camilo, para a Delegacia de Satuba. Eles alegam que não reagiram, mas que a policia usou força desnecessária.

Um militar do Bope falou com a reportagem do TNH1, pediu para não ser identificado. Segundo o policial, a PM foi acionada pelo Centro Integrado de Operações da Defesa Social (Ciods) para desobstruir a rodovia. Ao chegar no local, o militar alegou que alguns manifestantes estavam incitando a violência no local e que desacataram os militares e foram detidos. "Usamos apenas a força necessária, os que reagiram foram contidos e levados para a delegacia de Satuba", disse.

O delegado Carlos Umberto informou que os sindicalistas serão autuados por desacato à autoridade e resistência à prisão, mas não ficarão detidos, tendo apenas respondido a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

10/07/2014 11h58

Deborah Freire

Fonte:

.