sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

SMTT aperta cerco contra táxis fantasmas


Táxi fantasma foi apreendido

 
Dando prosseguimento à operação desencadeada no último dia 13, que visa tirar de circulação táxis clandestinos, a SMTT, por meio dos fiscais Osvaldo Bonfim e Pacelly Luz, comandados por Luiz Dué, diretor operacional de transporte e táxi, apreendeu, na noite de ontem, o Fiat Mille branco, ano 2006, placas MVJ 6463, de Tanque D’Arca, de propriedade de Juvenal Lopes de Oliveira, que se passava por taxi.

A apreensão ocorreu no terminal rodoviário do Feitosa. Abordado, o motorista se evadiu logo após entregar os documentos aos fiscais. Segundo os agentes da SMTT, o taxi é frio. Com a permissão de praça e o taxímetro adulterados, o veículo possuía rádio PABX e adesivos da Polícia Militar e do Sintaxi.

Com a fuga do motorista, o carro foi rebocado para o páteo da SMTT, no Tabuleiro do Martins, onde está sendo periciado. O proprietário do “taxi fantasma” será enquadrado por crime de transporte remunerado sem autorização, e só terá o carro liberado após o pagamento da multa R$ 1.615,18.

 
Esse é o segundo taxi clandestino apreendido em menos de oito dias. Na madrugada de domingo, 13, agentes apreenderam um Gol, placas MVB-6904, fazendo o papel de táxi. Na ocasião, o condutor do veículo, Odilon de Oliveira Moura, disse ser registrado como motorista auxiliar na SMTT, mas informou que não estava com o porte obrigatório do carro, nem com a habilitação, que, segundo ele, está vencida.

 
Após verificar que a placa do Gol havia sido adulterada, a fiscalização acionou o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, que deteve o suposto taxista e o levou para a Central de Polícia de Maceió, no bairro do Prado, onde o mesmo foi autuado pelo delegado de plantão.

Ainda na esteira da operação, a SMTT recolheu o Fiat Doblô Adventure, placas JPO 8666, de Satuba, de propriedade de Verônica Gomes Magalhães, que fazia transporte remunerado sem autorização a partir do ponto de ônibus que fica em frente à garagem da empresa Piedade. Assim como os dois “taxis”, o Doblô foi levado ao páteo da SMTT, onde permanecerá até que sua proprietária regularize a situação e pague a respectiva multa.

 
As operações da SMTT têm sido supervisionadas pessoalmente por José Pinto de Luna, superintendente do órgão, que determinou especial atenção na identificação e apreensão de taxis fantasmas e outros transportes fora da lei. “A SMTT tem compromisso com a segurança do passageiro e com a proteção ao taxista legalizado. Não podemos permitir que usurpadores se passem por profissionais corretos. Vamos combater esse tipo de prática com o máximo rigor”, avisa Pinto de Luna.

 
16h45, 18 de Fevereiro de 2011

Ascom SMTT

 
Fonte: Ascom SMTT/AL
.