domingo, 2 de outubro de 2016

O novo profissional taxista

Não faz tanto tempo assim o taxista era somente um motorista. Rodava pela cidade à procura de passageiros ou ficava estacionado em pontos de táxi em locais predeterminados. Recebia o pagamento das corridas apenas em dinheiro, consultava o Guia de Ruas para encontrar um endereço que desconhecia e tinha como concorrentes unicamente outros “táxis de rua”.

Com o avanço tecnológico, a concorrência aumentou. Vieram os rádio-táxis e os aplicativos. A crise ampliou ainda mais o quadro, fazendo surgir uma nova opção que são os carros particulares apelidados de forma errônea de “carona compartilhada”.

Além disso, o consumidor está cada vez mais exigente e atento a quesitos como segurança, qualidade e economia. Não é incomum, por exemplo, o passageiro opinar e indicar em tempo real, com base no que vê no seu smartphone, qual trajeto prefere que o motorista faça.

Esse novo cenário gerou também a necessidade de mudança no perfil do taxista. Para acompanhar as novidades e fazer frente à concorrência, o motorista de táxi precisou se modernizar em termos tecnológicos: aprendeu a usar ferramentas que ajudam a desenhar a melhor rota para chegar ao destino, a interagir com aplicativos que “passam” corrida, a usar a máquina de cartão de débito/crédito, entre outros.

Mas as mudanças não param por aí. Hoje temos no mercado um profissional mais maduro, que buscou se preparar para atender de forma mais cordial e humana, que passa por treinamentos e está sempre atento às melhorias. O próprio táxi ficou um local mais confortável, com a oferta de água, ar-condicionado e wi-fi (como nos táxis pretos da Pontual Black).

Para esse novo profissional, o passageiro passou a ser um cliente e é visto como alguém a ser conquistado e fidelizado a cada nova oportunidade. O taxista dos dias de hoje é, antes de tudo, um empreendedor, que investe constantemente na melhoria do serviço que oferece.

Autor: Robson Teixeira, ex-taxista, atualmente Diretor Geral da Pontual Black (www.pontualblack.com.br), empresa que acaba de lançar o primeiro serviço de táxi preto via aplicativo de São Paulo.
.