quinta-feira, 27 de setembro de 2012

POLUIÇÃO ROUBA SAÚDE DE TAXISTAS


Saúde :

Trabalhadores que atuam no trânsito estão mais propensos a doenças, que vão de inflamações a câncer, aponta pesquisa.

Profissionais que trabalham diariamente no trânsito, expostos à poluição das ruas, estão mais sujeitos a doenças do que os que atuam em áreas menos poluídas. A conclusão está em um estudo feito na capital paulista por pesquisadores das universidades Federal de São Paulo (Unifesp), USP e Harvard (EUA), envolvendo taxistas e fiscais de tráfego. O coordenador da pesquisa, professor Paulo Saldiva, do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP, disse que o ar poluído provocou inflamação nos olhos e nos pulmões, alterações na pressão arterial e no ritmo cardíaco, distúrbio pró-coagulante, maior tendência à obesidade, conjuntivite, rinite e maior número de quebras cromossômicas, o que significa mais risco de câncer, "tanto nas mucosas expostas, quanto nas células circulantes".

Saldiva, que também é integrante do Comitê Científico da Universidade de Harvard e fez parte do Comitê da Organização Mundial da Saúde (OMS) que definiu padrões de qualidade do ar, destacou que, além do maior risco de doenças, os profissionais expostos à poluição das ruas apresentaram "ações adaptativas", ou seja, alterações no corpo para se adaptar e trabalhar no limite, devido às situações de ruído e estresse, comuns aos grandes centros urbanos. "Por exemplo, no controle da pressão arterial, o sistema que inibe que a gente aumente a pressão está ligado no máximo", explicou.

Durante quatro anos, os pesquisadores acompanharam grupos altamente vulneráveis aos gases poluentes expelidos pelos veículos: 71 taxistas e 30 funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que são responsáveis pela fiscalização do trânsito. Para efeito de comparação, foi analisado um grupo menos vulnerável, de 20 trabalhadores do Horto Florestal, que fica na Serra da Cantareira, região da capital com menor nível de poluição. A pesquisa envolveu 90 cientistas de especialidades como oftalmologia, clínica médica, cardiologia, pneumologia, patologia e até matemática.

As conclusões foram apresentadas durante o Seminário Científico da Poluição Ambiental, na cidade de São Paulo. Segundo Saldiva, os estudos ainda não estão concluídos e a apresentação trouxe uma noção geral dos resultados. Os cientistas ainda formularão um relatório que será encaminhado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que financiou a pesquisa.

Hepatite

Por trabalharem com instrumentos cortantes e perfurantes, manicures e tatuadores são alguns dos profissionais mais vulneráveis a contrair hepatite. De olho na proteção dessas pessoas, o Ministério da Saúde abriu o concurso cultural Arte, prevenção e hepatites Virais para Tatuadores e Manicures. Os participantes deverão apresentar trabalhos relativos ao tema nas modalidades arte em unhas, desenho para tatuagens e relatos de experiências. As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de setembro. Os prêmios vão de televisões a quantias de R$ 2 mil e R$ 5 mil. O edital está disponível na internet.

Fonte: Estado de Minas - Publicado: 28/09/2012
.