sexta-feira, 3 de junho de 2011

SMTT intensifica fiscalização contra transportadores irregulares

Município garante que vai continuar fazendo blitz para apreender veículos ilegais

Trinta e dois carros apreendidos, um agente de trânsito quase atropelado, uma moto oficial danificada e milhares de reais em multa para os infratores. Esse foi o resultado das duas operações realizadas pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) esta semana. E a fiscalização nas saídas da cidade vão continuar e sem prazo para ser encerradas. Segundo o Município, os transportadores irregulares não respeitam as regras estabelecidas para esse tipo de atividade e põem em risco a vida dos passageiros.

De acordo com o inspetor Gerônimo Barbosa, da Diretoria de Operações de Trânsito, as blitz surpresa vão acontecer todas as semanas, em dias alternados e em pontos diferentes da cidade. “Essa operação é permanente, não tem prazo para acabar. Enquanto houver pessoas trabalhando de forma errada, vamos estar atuando”, garantiu ele.

Mas nem sempre a abordagem aos irregulares encontra reação de tranquilidade nos infratores. Gerônimo Barbosa contou que ontem, na Via Expressa, um transportador foi interceptado e, tentou fugir. “Ele conseguiu escapar da primeira abordagem e avisamos a equipe que estava num ponto mais na frente. O condutor até parou, mas, quando o agente de trânsito estava descendo da moto, o motorista deu uma ré e, em seguida, acelerou, bateu na moto, destruiu-a parcialmente e fugiu. A sorte é que o guarda pulou a tempo de ser atingido”, lembrou.

Perigo aos passageiros

Gerônimo Barbosa orienta que a população não utilize o serviço prestado pelos transportadores irregulares. “Eles não têm cuidado com nada e nem com ninguém. Os carros não são providos dos equipamentos de segurança exigidos pela legislação, os motoristas não exigem que os passageiros usem o cinto de segurança e ainda superlotam os veículos. É um pessoal muito rebelde”, advertiu o diretor.

E o inspetor explicou que, mesmo errados, os transportadores irregulares sempre tentam se defender. “Eles alegam que sobrevivem desse tipo de atividade e que precisam sustentar suas famílias. São muito resistentes às apreensões”, disse ele, acrescentando que a maioria possui automóveis antigos e não possuem a documentação exigida pela Arsal para fazer o transporte seguro de passageiros.

Todavia, apesar das alegações dos infratores, a SMTT não deixa de fazer as apreensões. Em menos de uma semana ja foram 32 veículos recolhidos ao pátio do órgão. Os carros só são liberados depois do pagamento das multas e das taxas de estadia. O prejuízo pode chegar a mais de R$ 2 mil.

  Janaina Ribeiro

Fonte:

 .