quarta-feira, 29 de abril de 2015

Taxista assassinado a tiros em Penedo se negou a transportar droga

Elucidado:

Uma operação integrada desencadeada nesta terça-feira (28), pela Secretaria de Estado da Defesa Social e Ressocialização (Sedres), prendeu um dos envolvidos na morte do taxista Adilson Silva Costa, 45 anos, o Montanha. O profissional foi encontrado morto na manhã do dia 1º de fevereiro na estrada do povoado Ponta Mofina, pelo acesso Cerquinha das Laranjas.

De acordo com o delegado Mário Jorge, diretor da DPJ-2 (Penedo, Arapiraca, Palmeira dos Índios e São Miguel dos Campos), o homicídio foi motivado porque o taxista se negou a transportar drogas entre Penedo e Palmeira dos Índios.

“Depois do crime começamos a investigar o homicídio e descobrimos que o taxista foi morto pelo tráfico. Todos os envolvidos estavam sendo monitorados, esperando o momento certo para desencadear a operação. Quando nesta terça-feira (28), uma operação integrada desmantelou uma rede de tráfico com entrega a domicílio, em Palmeira. Entre as prisões, um dos envolvidos na morte do profissional. Ele foi assassinado por se negar a transportar droga de Penedo para Palmeira dos Índios. O tráfico não perdoa”, detalhou.

Acusados

Envolvidos na morte do taxista natural de Palmeira dos Índios, Adilson Silva Costa, 45 anos, estão: Lucas Canuto da Silva, 19 anos, preso durante operação na cidade. Outro suspeito conhecido no mundo do crime por ‘Coroa’, morto pelo próprio tráfico e um terceiro envolvido, conhecido por ‘Negão’, se encontra foragido.

Motivação

‘Montanha’ como também era conhecido o taxista, fazia ponto na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Palmeira dos Índios e residia próximo aos traficantes. No dia 31 de janeiro, os três (Negão, Coroa e Lucas), o chamaram para fazer uma corrida até o município de Penedo.

Ele aceitou e ao chegar à cidade, descobriu que teria que transportar droga de volta para Palmeira. Então, sem envolvimento com nada ilícito, o profissional se negou e acabou sendo assassinado com cinco disparos de arma de fogo.

O corpo de Adilson Silva foi deixado na estrada de acesso ao povoado Ponta Mofina, pelo acesso Cerquinha das Laranjas e localizado por populares na manhã do domingo 1º de fevereiro. Os criminosos seguiram em seu carro, um Siena de cor vermelha e placa MUR-5966 e o abandonaram ainda na manhã do domingo, próximo a Churrascaria do Ferreira, na BR-316 e no interior, um lençol com manchas de sangue.

A ação que prendeu traficantes, sendo um deles envolvido na morte do taxista, foi coordenada pelos delegados Mário Jorge Barros (Diretor de área) e Thales Araújo (Regional de Palmeira). Os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal e teve a participação de policiais do Tático Integrado de Grupamentos de Resgates Especiais (Tigre), Asfixia, Delegacia Geral da Polícia Civil e do Batalhão de área da Polícia Militar. Os trabalhos foram acompanhados pelo delegado-geral, Paulo Cerqueira e, pelo secretário de Estado da Defesa Social e Ressocialização (Sedres), Alfredo Gaspar de Mendonça.

29/04/2015 11:55

Fonte:
.