terça-feira, 14 de maio de 2013

Passageiros se arriscam em vans clandestinas no Centro de Maceió


Kombi com capacidade para nove pessoas, leva doze.

Internauta diz que na Rua do Comércio há muitos transportes irregulares.

Fim de tarde na capital alagoana, horário de voltar para casa e, o centro da cidade está cheio de vans clandestinas. Cansados de trabalhar o dia todo e sem paciência para aguardar horas no ponto de ônibus, muitos passageiros se arriscam e embarcam em um desses transportes. A reportagem do G1 foi junto e pegou uma van que seguia para o bairro de Bebedouro.


Vans clandestinas estão por toda parte no centro de Maceió (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Geralmente é uma kombi branca e sem nenhuma identificação. O veículo tem capacidade para até nove pessoas, mas no banco de trás sentam quatro pessoas e uma criança de colo. No banco do meio vão mais quatro pessoas e a cobradora fica em pé entre o banco e a porta. Ela precisa se curvar para não bater a cabeça. Na frente vão o motorista e outros dois passageiros. São doze adultos e uma criança no mesmo espaço.

Todos ficam espremidos e o calor é insuportável. As pessoas que utilizam este meio de transporte já estão acostumadas e não reclamam. Pagam até mais caro só para chegarem em casa mais rápido. A tarifa da van custa R$ 3,00, sendo que de ônibus custa R$ 2,30.

O internauta Hugo Leandro Vieira Moura Jatobá, por meio da ferramenta colaborativa VC no G1, denuncia que no corredor de ônibus na Rua do Comércio, sempre há veículos particulares embarcando passageiros.

"Sempre têm carros particulares e também microônibus complementares na rua que é exclusiva para ônibus. Entrei em contato com o 190, mesmo sabendo que não era a polícia quem fiscaliza essas irregularidades, e me informaram o telefone da SMTT. Tentei ligar por três vezes, mas não consegui falar", desabafa o internauta.


Passageiros de ônibus cansam de esperar no ponto e optam por transporte irregular. (Foto: Roberta Cólen/G1)

O diretor de operações de trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Maceió (SMTT), Zenildo Calheiros, diz que está sendo criado um call center para atender a população de uma maneira mais eficiente. Por enquanto, o telefone disponível para denúncias é o 3315-3590.

Sobre a Rua do Comércio, onde só pode circular ônibus, o diretor diz que será instalado uma câmera de videomonitoramento para ajudar a SMTT na fiscalização. "Isso ainda vai demorar uns 30 dias, mas enquanto isso nós estamos intensificando as rondas no local e autuando qualquer veículo que esteja circulando pelo local", diz.

Zenildo Calheiros afirma que a SMTT está fazendo um estudo para melhorar o transporte público da capital. Segundo ele, serão feitas alterações no trânsito da Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol, para aumentar a fluidez dos ônibus e diminuir o tempo das viagens.

Sobre o transporte coletivo, o diretor diz que isso já está enraizado na população e as blitze são apenas "uma medida paleativa". Ele diz ainda que é preciso oferecer um transporte público melhor para que as pessoas deixem de se arriscar usando esse tipo de transporte.

"As pessoas preferem colocar suas vidas em risco porque o transporte oferecido hoje é ruim. Se tiver um acidente com uma dessas vans, a pessoa não terá nenhum tipo de seguro e ela nem sabe quem está dirigindo o veículo", afirma.

O condutor que for autuado transportando irregularmente passageiros tem o veículo apreendido e as multas, por várias infrações, podem chegar a R$ 2.500, segundo a SMTT.

11/05/2013 12h54 - Atualizado em 11/05/2013 15h49


Todos os direitos reservados

Fonte:
 .